Trabalhadores estão sem receber 13°, férias e outras verbas trabalhistas

 

O Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares do Distrito Federal (Sinproep-DF) denuncia a situação dos profissionais do Colégio Montêmine. Professores, Orientadores e Coordenadores do colégio estão sem receber as verbas trabalhistas.

Até o momento, a instituição sequer pagou o 13º salário referente ao no de 2016. Os profissionais também estão com férias e outros encargos atrasados. Confira abaixo a nota de repúdio na íntegra:

 

Aos pais dos alunos

do Colégio MONTEMINE

 

INSTITUIÇÃO ESTÁ EM DÉBITO  COM  VERBAS TRABALHISTAS

 

O Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares do Distrito Federal vem denunciar a situação de dificuldades dos professores (as), orientadores(as) e coordenadores (as) do COLÉGIO MONTENEMI, que estão sem receber verbas trabalhistas. O Sindicato já notificou a instituição por mais de uma vez e nenhuma providência foi tomada.

A escola descumpre o Parágrafo Primeiro do artigo 459 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), onde estabelece que o salário deve ser posto a disposição do empregado até o quinto dia útil do mês subsequente ao trabalhado. Além dos atrasos de salários, o COLÉGIO MONTENEMI não recolhe o Fundo de Garantia e INSS dos seus empregados, falta de assinatura da CTPS,  em franco desrespeito aos direitos dos trabalhadores.

Em vista desses atrasos o Sinproep-DF solicitou a intervenção do  Ministério Público do Trabalho da 10ª Região, no sentido de encontrar uma solução para por fim aos problemas que tem afetado a vida dos docentes e de suas famílias.

Por esses motivos, o Sinproep-DF vem solicitar o apoio dos pais e da comunidade escolar para que ajude a pressionar a direção da instituição no sentido de colocar em dia os salários dos docentes, e evite que sejam medidas drásticas por parte dos professores, em prejuízo dos alunos e das famílias.